Câmara participa de reunião com comerciantes, mas decisão de fechamento dos estabelecimentos se mantém: "ordem do Estado"

A Câmara de Patrocínio Paulista esteve representada nesta manhã de sexta-feira em encontro que reuniu comerciantes e representantes da Prefeitura. O assunto foi a busca de uma solução para os comerciantes diante dos prejuízos por conta da fase vermelha, já que todos têm que manter as portas fechadas nesse momento.

Os vereadores Alcides Resende Faria, Maria de Fátima Granado, Valéria de Figueiredo Lopes, Lucas Vicente e Thales Oliveira estiveram presentes na discussão. Eles foram representando os 9 vereadores, justamente para não haver aglomeração. Ou seja, houve alguns representantes de cada setor, inclusive do comércio.

A vereadora Valéria Lopes disse que a Prefeitura não poderá recuar nas determinações do Estado.  "O jurídico (da Prefeitura) foi claro que é uma hierarquia que precisa ser seguida. O município  tem que obedecer o Estado. A situação foi muito discutida, mas sem sucesso, infelizmente", disse. 

A vereador Maria de Fátima, que participou de uma primeira reunião, apenas com representantes da Prefeitura, disse que Patrocínio tem 13 pessoas internadas com a COVID-19  e a situação das vagas nos hospitais na região é preocupante. "Não tem vaga", disse Fátima.

Lembrando que a região de Franca foi rebaixada para a fase vermelha do Plano São Paulo no dia 22 de janeiro. O recuo, da fase laranja para vermelha, foi motivado pela alta lotação dos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) destinados a pacientes da COVID-19. Como Patrocínio Paulista pertence a DRS (Diretoria Regional de Saúde) de Franca, a determinação é que a cidade também siga os protocolos exigidos na fase vermelha, principalmente, a suspensão de atividades econômicas consideradas não essenciais.