Alckmin recua e descarta novos pedágios nas rodovias da região

Fonte: Portal GCN

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) descartou definitivamente a instalação de três praças de pedágio na região de Franca. A informação foi dada com exclusividade ao Comércio, em telefonema do chefe do governo estadual ao diretor-executivo do GCN, jornalista Corrêa Neves Júnior, no início da noite de ontem. No período da manhã, Alckmin se reuniu com prefeitos de dez cidades que integram o Comam (Consórcio dos Municípios da Alta Mogiana), no Palácio dos Bandeirantes.

Na conversa com Correa Neves Júnior, Alckmin fez questão de repetir que entendeu a mensagem da população, apesar de não mencionar diretamente os protestos. “Não faremos nada que as pessoas não queiram”, disse, numa referência direta às praças de cobrança.

Segundo Alckmin, as concessões nas rodovias de Franca continuarão como estão. Desta forma, os demais trechos continuam sob responsabilidade do Estado, sem os novos pedágios.

O governador também descartou a praça de cobrança na rodovia Altino Arantes, entre Batatais e Altinópolis. Assim, esse trecho, além dos que ficam entre Itirapuã e a divisa com Minas Gerais e entre Franca e Rifaina estão fora do Lote C do novo plano de concessões de rodovias.

Mais cedo, na reunião com os prefeitos, Alckmin foi menos incisivo e disse que a vinda de novos pedágios estaria sujeita a conversas com a população. À noite, ao Comércio, foi peremptório e descartou completamente a instalação das três praças, que tinha sido anunciada pela Artesp (agência reguladora de transporte) e que motivou os protestos. “Não tem mais”, garantiu.

O fim dos pedágios não altera em nada a duplicação da Portinari entre Franca e o trevo de Jeriquara, já em execução, e a futura duplicação da Ronan Rocha, entre Patrocínio e Itirapuã. Esta obra está prevista no contrato da Autovias, e deve ser iniciada pela concessionária ainda neste primeiro semestre de 2016.

Novas praças de pedágio somente serão instaladas se, depois de consultada, a população decidir em audiências públicas que quer a duplicação de rodovias em trechos além desses que estão em execução. As obras em andamento serão concluídas sem pedágio.

Se quiser, paga
Alckmin sugeriu aos prefeitos que realizem encontros para ouvir a opinião da comunidade. Ficou definido que, se a região quiser, a Portinari, entre o trevo de Jeriquara e Rifaina; a Ronan Rocha, entre Itirapuã e a divisa com Minas; e Altino Arantes, entre Batatais e a divisa com Minas, poderão ser duplicadas. Mas, neste caso, serão pedagiadas. Alckmin disse que as praças de cobranças não ficariam, necessariamente, nos pontos que vinham sendo estudados pela Artesp.

A reunião
Participaram da audiência os prefeitos de Franca, Patrocínio, Pedregulho, Batatais, Jeriquara, Altinópolis, Santo Antônio da Alegria, Cristais Paulista, Itirapuã e Rifaina. Prefeitos relataram que o governador apresentou detalhes do novo programa de concessões e abriu espaço para os gestores opinarem. Não chegaram a um consenso.

Duas horas e meia depois, Alckmin concedeu rápida entrevista. “O que decidimos: nada vai ser feito sem ouvir a região.”

Dentro de 15 a 20 dias, o Comam realizará uma audiência pública em Franca para decidir qual decisão será tomada. “Avalio que nosso movimento conseguiu avanços importantes: o governo concordou em fazer uma audiência pública em nossa região e admitiu fazer as duplicações até as divisas com Minas, o que ainda não havia sido cogitado”, disse Marcos Ferreira (PT), prefeito de Patrocínio.

Alckmin afirmou que, independentemente, do que a região decidir, a nova concessão deverá derrubar o preço dos atuais pedágios em até 30%.

 

Ricardo Rocha quer nova fiscalização na frota de veículos

O vereador Ricardo Rocha pediu autorização da presidência da Câmara para realizar uma nova fiscalização na frota de veículos. Segundo ele, existem várias irregularidades e veículos sucateados, sem nenhuma atenção do município.

Rocha também se solidarizou com os vereadores Carlito e Marcos que foram criticados pelo secretário de Saúde, e também os antigos funcionários que foram desrespeitados pela administração. “O secretário não respeita o vereador que representa o povo”, disse Rocha.

Por fim, Rocha também falou do descaso que está Patrocínio Paulista. “Vai deixar (a administração) um estrago no município por muitos anos. A dívida do desmando da cidade esburacada será grande. ”

 

assista o vídeo na página do Facebook no dia 2 de março:

https://www.facebook.com/camarade.patrocinio

Câmara autoriza repasses de R$ 750 mil a Santa Casa

A Câmara autorizou na sessão de ontem, por unanimidade, o Projeto de Lei 6/2016 que prevê repasses de recursos pela Prefeitura a Santa Casa de Patrocínio Paulista.

O dinheiro será usado pelo hospital para custear serviços especialidades médicas e de urgência prestados ao município. O acordo fechado com esse valor ainda não prevê o plantão 24 horas no hospital (hoje é feito na unidade central). Esse assunto, aliás, está em discussão nesta quarta-feira entre a direção da Santa Casa e o prefeito Marcos Ferreira.

O atendimento de retorno do plantão à Santa Casa é um pedido feito por boa parte da população e que foi reforçado pelos vereadores quando o prefeito esteve na Câmara, no início de fevereiro.

Repasses em atraso
*** Na semana passada, a Câmara já havia aprovado o Projeto de Lei 9/2016 autorizando a Prefeitura a repassar R$ 85 mil a Santa Casa. O dinheiro é saldo devedor do município do mês de dezembro de 2015.

 

Aprovados créditos para premiação da Copa de Futebol de Salão

A Câmara aprovou ontem o Projeto de Lei 11/2016 que autoriza a Prefeitura a abrir créditos no valor de R$ 3,6 mil para pagamento de premiações aos atletas que participaram da Copa Keba de Futebol de Salão.

Na justificativa do projeto, o prefeito Marcos Ferreira lembrou, ainda, do requerimento 44, enviado pelo então vereador Marcos Roberto (hoje presidente do Legislativo), cobrando tais premiações prometidas aos participantes de campeonatos.