Prefeitura prorroga contrato com os funcionários do Samu

 

Os funcionários do Samu continuarão atuando nos serviços até o dia 29 de fevereiro de 2016. O contrato dos funcionários, que venceu em 31 de dezembro, foi prorrogado para que a Prefeitura tenha tempo hábil de promover o concurso público para os cargos que ficarão em aberto.

A Lei Complementar que autoriza a abertura dos cargos foi sancionada pelo prefeito Marcos Ferreira no mês passado e, agora, a prefeitura deve darinício aos trâmites legais para a realização do concurso.

Na opinião do presidente da Câmara, Marcos Roberto, os atuais funcionários poderiam se manter nos cargos uma vez que todos fizeram curso específico para os serviços de emergência e já têm experiência de três anos na função.

"Acredito que podemos tentar, dentro da Lei, é claro, ver se existe uma maneira de eles permanecerem nas funções", acrescentou Marcos Roberto.

Presidente da Câmara critica chamamento público na saúde

A Prefeitura de Patrocínio Paulista lançou um chamamento público para selecionar entidades que estejam dispostas a assumir alguns serviços da área da saúde da cidade. Esses serviços, até então prestados pela Santa Casa, estão abertos a qualquer empresa, dentro ou fora da cidade, que aceite as condições e as propostas financeiras apresentadas pelo Executivo.

O presidente da Câmara, Marcos Roberto Fernandes, já se posicionou contrário à medida. “Essa é uma proposta absurda. Se temos um hospital com toda a infraestrutura e capacidade de atendimento na cidade não é admissível abrir precedentes para que uma empresa de outro município, talvez muito distante, assuma os serviços. Mais uma vez os pacientes serão prejudicados”, disse ele.

Ainda de acordo com Marcos, Santa Casa e Prefeitura tentaram acordo, mas, segundo levantamento apresentado pela própria Santa Casa, os valores propostos pelo município para continuidade dos serviços (ESFs, Samu, especialidades médicas e custeio do hospital) ficaram bem abaixo do valor atual.

“A Prefeitura ofereceu um valor que é quase cem mil reais menor que o contrato atual. A Santa Casa manteve o valor, sem nenhuma alteração, mas o município se recusa a pagar. Não concordo com essa situação. Farei tudo que tiver ao alcance da Câmara para impedir que isso aconteça. Vou até ao Ministério Público, caso necessário”, conclui Marcos.

Movimento “A Santa Casa é Nossa” reuniu mais de 300 pessoas

 

Mais de 300 pessoas se reuniram, hoje de manhã, em frente a Santa Casa de Patrocínio Paulista no movimento intitulado “A Santa Casa é Nossa” e organizado pela própria população.

O movimento acontece porque os pacientes da rede pública estão insatisfeitos e temerosos com o chamamento feito pela Prefeitura para contratar serviços de saúde. Desta forma, o município está abrindo brechas para que empresas de saúde de outros municípios assumam a gestão da saúde da cidade. E, caso isso aconteça, o hospital deixaria de atender a população, como vem fazendo até então.

Vereadores apoiaram o movimento em prol da Santa Casa e esperam que o município reveja o chamamento público e faça um acordo com o hospital que tem toda a infraestrutura necessária para atender a população.

Vereadores sabatinam prefeito durante sessão

O prefeito de Patrocínio Paulista, Marcos Ferreira, aceitou o convite da Câmara e participou, ontem, da primeira sessão ordinária do exercício de 2016.

A sessão foi longa. Durou mais de quatro horas. Tempo em que o prefeito foi sabatinado pelos vereadores e pela população. Todos os vereadores, sem exceção, questionaram Marcos Ferreira a respeito dos problemas da cidade.

Praticamente todos os assuntos foram levantados, mas algumas respostas não foram tão claras como a população esperava. O contrato para a prestação de serviços entre Prefeitura e Santa Casa para atendimentos de especialidades médicas e emergência foi o assunto mais discutido com o prefeito.

Segundo Marcos Ferreira, o chamamento público feito pela prefeitura para contratar serviços de saúde é legitimo e dá a oportunidade de o município saber o valor que está sendo praticado no mercado.

“A Santa Casa entrou na justiça contra o chamamento, mas o pedido foi indeferido. Nós estamos fazendo o que é certo e não para prejudicar ninguém”, disse o prefeito. Já com relação as cirurgias, Marcos disse que o município vai comprá-las onde tiver.

 

Ainda com relação à Saúde, os vereadores cobraram um posicionamento do prefeito sobre a atuação dos funcionários do Samu e a realização de um concurso especifico para que os funcionários atuais tenham a oportunidade de participar. Mas, segundo Marcos, já há pessoas concursadas e estas devem ser chamadas para ocupar as vagas. “O concurso está pronto. Tem que ser chamado quem já fez, porque o concursado pode entrar na Justiça. Se eu pudesse contrataria pessoal que já está no Samu, mas não posso”.

 

Ao ser questionado como vê Patrocínio Paulista hoje, uma cidade esburacada, com muitos problemas de infraestrutura, Marcos Ferreira respondeu: “Quem ama o feito bonito sempre lhe parece. Acho Patrocínio linda. Amo essa cidade. Mas o que falta aqui é cidadania”, disse ele, citando um exemplo. “A calçada da casa é de responsabilidade do dono da casa e não da prefeitura e tem gente que não cuida da sua própria calçada”, desabafou.

A sessão completa pode ser assistida no site www.camarapp.sp.gov.br, no link “Canal TV Câmara”.