Ronaldo questiona Prefeitura sobre obras e recursos aprovados pela Câmara

O vereador Ronaldo Oliveira falou sobre vários temas na sessão de ontem, entre eles, os projetos aprovados pela Câmara que autorizaram recursos para a construção de quatro academias ao ar livre e também para serviços de recape e tapa buracos.

“Votamos o projeto das academias há mais de um ano e, depois, aprovamos a suplementação. Até agora, nada da implantação”, disse, acrescentando: “Tem, ainda, os recursos para asfalto e tapa buracos. Cadê? Gostaria de saber”.

Câmara aprova reajuste dos servidores municipais


A Câmara de Patrocínio Paulista aprovou, por unanimidade, os Projetos de Lei 16 e 17/2016 que autorizam o reajuste salarial dos servidores públicos municipais.

O reajuste, válido a partir de 1º de abril, acrescentará 10.86% nos salários da categoria, além do aumento no vale alimentação, que passa dos atuais R$ 570 para R$ 600. Os Projetos também mantêm um vale a ser concedido em dezembro por conta do Natal, no valor de R$ 140.

O vereador José Cláudio de Figueiredo, que também preside o sindicato da categoria, disse que o percentual foi aprovado pelos servidores em assembleias e acompanhou a reposição da inflação. “Vamos (sindicato) continuar lutando por mais benefícios”, disse José Cláudio.

Outros dois Projetos, relacionados ao reajuste e vale alimentação dos servidores da Câmara e vereadores, também foram aprovados ontem. O reajuste seguiu a inflação do período.

Vereadores autorizam repasses de R$ 734 mil à Santa Casa

 Os vereadores aprovaram na sessão de ontem, por unanimidade, o Projeto de Lei 18/2016 que autoriza o fechamento de acordo entre a Prefeitura e a Santa Casa para os atendimentos dos serviços de urgência e emergência à população até dezembro deste ano.

O projeto prevê repasses no valor de R$ 734 mil que serão destinados ao custeio de despesas, pagamentos de honorários médicos, compra de medicamentos e demais materiais. Na semana passada a Câmara já havia autorizado repasse no valor de R$ 750 mil ao hospital para custear os serviços de especialidades médicas prestados ao município.

Os acordos foram fechados após a população e a Câmara se manifestarem contrárias – e realizar protestos - ao chamamento público de empresas de saúde para prestar os serviços ao município.

Na semana passada, o presidente da Câmara, Marcos Roberto, já havia antecipado que o município fecharia o acordo do plantão médico e comemorou. "Essa é uma conquista da população que muito batalhou para que a Santa Casa voltasse a atender os plantões. Quem ganha são os pacientes", disse Marcos.

O vereador Ricardo Rocha agradeceu à administração pela assinatura de mais um convênio com o hospital. “Quero agradecer ao prefeito Marcos Ferreira que cumpriu com a palavra ao fechar mais esse acordo. Quando estivemos em reunião, ele disse que acertaria com a Santa Casa. Então, quando tem que elogiar, a gente elogia”, disse.

Câmara busca solução para o transporte de alunos

A Câmara de Patrocínio Paulista está buscando uma alternativa para o transporte dos alunos da Escola Estadual “Jorge Faleiros”. O assunto esteve em discussão durante a sessão da Câmara após a leitura da resposta da diretora da unidade, Suraia Haber, com relação ao tema que havia sido levantado pelo presidente do Legislativo, Marcos Roberto.

Segundo a diretora, a solicitação de transporte escolar com monitor deve ser direcionada ao Poder Executivo. No ofício enviado à Câmara, a diretora diz que não partiu da escola o pedido de transporte dos alunos, principalmente do bairro Santa Cruz. Ainda segundo ela, a direção não pode indicar um funcionário para atuar como monitor de ônibus, já que isso configura desvio de função.

Durante reunião da Câmara, no dia 8 de março, a secretária Municipal de Educação, Liege Sabrina, afirmou que o município poderia fornecer o transporte, mas não os monitores.

O vereador Giovani Silva disse, ontem, que a Câmara precisa buscar uma solução para o problema. “Há algum tempo tenho sido procurado por várias famílias do Santa Cruz e Planalto pedindo o transporte dos alunos. Acho que deveríamos insistir porque os meninos realmente têm dificuldade, principalmente, em dias chuvosos. O ônibus tem. Então não está difícil resolver. É preciso achar um caminho legal para solucionar esse problema”, disse Giovani.

Marcos Roberto encaminhou, ainda ontem, um requerimento à Diretoria Regional de Ensino, em Franca, junto com a resposta da diretora da Jorge Faleiros, na tentativa de conseguir um monitor. “Ônibus e motorista tem. Não é possível que o Estado não possa ceder o monitor. Vamos continuar insistindo sim nesse assunto”, disse Marcos Roberto.